Total de visualizações de página

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Red Rose Speedway - 1973


Macca tinha grandes planos para 1972. Apesar de ficar chocado com a pouca receptividade de 'Wings Wild Life', ele planejou um ano novo cheio de novas experiências.
A principal delas seria uma turnê com a nova banda. Para isso ele decidiu incorporar mais um membro à banda. O irlandês Henry McCullough foi contratado para ser o guitarra-solo do Wings. 


Como Paul tinha decidido fazer tudo devagarinho, sem pressa, ele não quis marcar nenhum show de estreia, em um lugar de expressão. Qual foi a grande sacada de Mr. McCartney?  Cair na estrada quase em segredo. Paul alugou dois ônibus. Um para a banda, mulheres, filhos, cachorros, etc.. O outro para os equipamentos e equipe! E..... Pé na Estrada!! 


Qual estrada? A das Universidades Britânicas! Porque? Porque não haveria grandes cobranças. 
Os caras chegariam por exemplo em ....  - não lembro o nome de nenhuma Universidade Britânica - Cambridge talvez seja uma... e os roadies iam até os estudantes e perguntavam se eles gostariam de curtir um show de Paul McCartney e banda na hora do almoço. Os garotos - não acreditando muito - obviamente diziam que 'claro que sim'!! Ok, o preço será de 1 libra!!
Era montado um pequeno palco ás pressas e a banda se apresentava. Seria como se aqui nos anos 70, algum super-astro se apresentasse em lugares muito pequenos... Chico, Roberto??? Cruzes, melhor não!!


 
Mas voltando ao assunto, o que aconteceu? As apresentações não foram lá essas coisas. Linda, particularmente tinha muita dificuldade com os teclados. O que ouço quando revejo aqueles shows é um som sujo, rascante, até bem legal, um proto-punk, mas os caras precisavam de mais ensaio! Os estudantes curtiram! 
Detalhe: toda a grana arrecadada ( 1 libra de cada estudante ) era colocado no mesmo saco e repartido entre os 5 depois dos shows... Tá certo Paul, por isso que Linda tava na banda, vc ganhava dobrado... hahahaha, Brincadeirinha!


Depois desse aquecimento, chegou a hora de partir para novas gravações. Paul tinha bastante material. Ele havia sido convidado para escrever a música-tema para o próximo filme de James Bond, e isso lhe daria muita moral, pois ele arrasou com 'Live and Let Die'!
As sessões para o álbum que se chamaria 'Red Rose Speedway', não correram tão tranquilas. A banda ainda não estava bem afinada. O produtor Glyn Johns, aquele que havia gravado o 'Let It Be' sem 'frescuras', antes da intervenção de Phil Spector em 1970,  foi chamado por Paul, mas abandonou o projeto ao ver a coisa preta.


Música não faltava, eles gravaram o suficiente para um disco duplo! A gravadora vetou! Paul teve que escolher as que ele achava que deveriam estar num álbum  simples.
 A escolha segundo Denny Laine e outros membros da banda foram sofríveis, as mais rockeiras foram deixadas de lado.
'My Love' que faria parte das imortais de Macca, teve um solo de guitarra antológico de McCullough - solo este que ele alterou na última hora -, e foi a balada de exceção do disco. O rock 'Big Barn Bed' que abre os trabalhos foi outra das que se salvaram. Mas parecia que Paul havia pisado no freio. Algo não estava funcionando na banda.
Linda tinha ganhado mais confiança com as excursões, mas seus parceiros de banda não gostavam de seu trabalho. Seu vocal, continuava falhando em canções como 'When the Night'. 


Red Rose Speedway, na minha opinião acabou sendo um álbum de transição. Haveria mudanças na banda para o próximo ano, e como dizem: 'há males que vem de trem'.... Quer dizer 'vem para o bem'!

As ilustrações e as colagens do encarte são do artista gráfico amigo de Paul de longa data, Eduardo Paolozzi. A capa pelo menos melhorou! Paul foi clicado por Linda na garagem de sua casa, como vcs estão vendo lá em cima. Ele contou que passou a noite toda sentado com aquela rosa na boca e ouvindo um álbum do Steve Wonder, acho que era o 'The Secret Life of Plants' ou 'Music of My Mind', não lembro! A inspiração deve ter ajudado.


Ele faria bem melhor da próxima vez!!

10 comentários:

Alice disse...

Fala sério... melhorou a capa?!

Eduardo Lenz de Macedo disse...

Não achou??? hehehe.

Alice disse...

Olhos esbugalhados e uma rosa na boca?! É melhor?! Tinha tantas outras opções... hehehe

Eduardo Lenz de Macedo disse...

Faz a gente pensar... O que isso quer dizer? Um cara com uma rosa na boca com uma moto atrás. Mas não tem nada a ver com o disco mesmo... tá certo, é lixo!!! hahaha.

Alice disse...

Em tempo: Depois de ler teu blog regularmente, fiquei curiosa com o teu livro. Como faço pra conseguir um?

Eduardo Lenz de Macedo disse...

Alice, entra em contato pelo endereço eduardomac_1@hotmail.com
Aí combinamos, valeu.

Debbie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Debbie disse...

Álbum que curti um monte, na adolescência, comprado por causa da 'My Love'. Depois, vieram as descobertas - a 'Get on the Right Thing' que acho legal e a 'Hands of Love', onde o backing vocal da Linda é muito bonitinho! Não acho que o vocal dela tenha falhado na 'When the Night', não, hehe (curto também!)!

Eduardo Lenz de Macedo disse...

Meu ouvido sensível capta as falhas de longe...

Debbie disse...

Hehehe!!! Tá certo...