Total de visualizações de página

domingo, 30 de janeiro de 2011

The Paul McCartney Collection - 'Ram' - 1971


'Piece of cake'!!! ( fatia de bolo). Ou, como plano B,  'Piss off, cake'??? ( Vá se f....)

Assim Paul canta no primeiro verso da primeira música do disco 'Ram', creditado a Paul & Linda McCartney, lançado em 1971.
Pode-se entender como quiser. John Lennon preferiu 'ouvir' o plano B! E, com todas suas neuroses e paranóias, entendeu como se fosse pra ele!
De fato, alguma parte da letra da canção 'Too Many People', era dirigida ao casal John & Yoko. Algo como "too many people preaching practices, don't let them tell you what you want to be" ( tem muita gente ditando regras, não deixe que lhe digam o que vc deve fazer).


Este foi o início do 'Ram', um álbum que pra ser sincero, não curto! 
Estava ouvindo de novo agora, mas custo a achar os momento legais. Eles ficam por conta dessa já citada, de 'Uncle Albert' , o single, que vendeu muito... e uma ou outra achada ao acaso.
Ok, o disco tem variações incríveis, mudanças de ritmo constante... country, rock, baladas, etc..
Talvez esse seja um dos seus defeitos! Too much information!!
'Monkberry Moon Delight', parece uma ópera-trash, não consigo gostar do vocal da Linda nela, e nem em outra canção qualquer do disco. Concordo com uma crítica que li há muito tempo, que dizia que nessa música, a 'Monkberry...', Paul apresentava "mais variações ritmicas que bandas de rock em discos inteiros".
Resta discutir se essas variações levaram à algum lugar!


No cd da 'The Paul McCartney Collection', vieram duas bônus. Essas sim, grandes músicas: 'Another Day' e Oh Woman, Oh Why', lançadas em single e que também fizeram muito sucesso.
McCartney gravou este disco em Nova Iorque, utilizando os serviços da Orquestra Sinfônica de NYC, e de músicos de estúdio.
Paul fez audições exaustivas para a bateria, e acabou optando por um ex-militar chamado Denny Seiwell. Este cara, seria o primeiro membro da futura banda de Paul que se chamaria Wings. Seiwell, era um dos bateras mais ecléticos que já havia tocado com Paul, e se adaptou bem ao seu estilo.
Para a guitarra, o primeiro escolhido foi David Spinoza. Spinoza, na época já era um dos músicos mais requisitados em NY, e apesar de estar com a agenda cheia, respondeu aos telefonemas de Linda, comparecendo ao estúdio para as sessões.


O problema era que David era um perfeccionista, e não se sentiu desafiado pelo modo de Paul gravar ( com a parte da guitarra já na cabeça dele ), nem com as canções. Outra pedra no sapato de Spinoza foi Linda. Ele não entendia o que "aquela garota estava fazendo lá, cantando com Paul McCartney"!
Confesso que também custei pra entender, David.
As críticas de Spinoza vazaram, assim ele foi substituído por Hugh McCracken, que se tornaria outro músico famoso nos anos que viriam.
A capa de 'Ram', também de gosto duvidoso, apresenta Paul segurando um carneiro pelos chifres, que seria parodiada por Lennon em seu álbum 'Imagine', em que uma foto acompanhava o disco, que mostrava John segurando um porco pelas orelhas.... No cantinho da capa, pode-se ler as iniciais 'L. I. L. Y', o que as pessoas entenderam como 'Linda I Love You'! Na contra-capa, entre outros desenhos, há uma foto de dois besouros ( bee(a)tles), em uma pose de digamos... cópula! Devia ser algum recado de Paul a seus ex-parceiros tipo... Piss off, cake!! hehehe.  


Quando lançado, 'Ram' provocou diferentes críticas. Novamente Paul foi achincalhado por parte da crítica e seus ex-parceiros. Alguns viram progressos neste álbum, e vizualizaram um futuro melhor a Paul. E o povo... Bem, o povo adorou - que é o que importa - e o disco vendeu bem.
Ainda em 1971, Paul McCartney partiria para a formação de sua banda, e tentaria de novo chegar ao topo! 



Será que ele conseguiria???

5 comentários:

Alice disse...

Acho que não... Quem é Paul McCartney? hehehe

Eduardo Lenz de Macedo disse...

Um cantorzinho mixuruca... Só ia nas costas do John Lennon.. hahahaha

Debbie disse...

Não diria que curto o álbum todo, mas acho que os "momentos legais" são:

- o vocal do Paul na Monkberry Moon Delight, que acho arrepiante!;

- a baladinha Ram On;

- a The Back Seat of My Car.

(Ué, você custou a entender o que a Linda estava fazendo ali, é?? Você não curte os vocais dela na Another Day que é da mesma época?? Esse 'ali' é o Ram em si? Hehehe!!

Eduardo Lenz de Macedo disse...

Na 'Another Day', ela faz só harmonias, e até achei bonitinhas. No 'Ram', quando a voz dela se torna a principal em algumas músicas, acho muito estridente, para não dizer 'sem feeling'. Era uma garota iniciante cantando, apenas isso! Mas claro, sendo a mulher do Paul, ganhou seu espaço!

Debbie disse...

Ah, bom!!
Mas, pensando melhor, você tem razão, sim. Fiquei lembrando dos vocais dela no álbum e realmente, são bem estridentes, sem delicadeza alguma. E isso deve ter sido difícil de entender/aceitar mesmo. Interessante como ela muda na Another Day, onde pra mim, ela tem um de seus melhores vocais ou 'harmonias', como você diz - suave, delicada, afinadinha.